terça-feira, 22 de novembro de 2011

Escola da Ponte, um exemplo inspirador

Pelo terceiro ano consecutivo fiz a cobertura do Congresso Internacional de Inovação, da Fiergs – um evento já tradicional que traz palestrantes de diferentes países para falar sobre inovação, com teorias e casos práticos relacionados ao tema. Nesses três anos, uma das apresentações que mais me chamou a atenção foi a Escola da Ponte, uma unidade de ensino nada tradicional de Portugal, apresentada por um dos fundadores José Pacheco. Lá, os alunos não são agrupados de forma padronizada, por idade, séries e turmas, como acontece na maior parte das escolas, se reúnem a partir de interesses comuns e aprendem na prática lições como geometria espacial, cálculos, língua portuguesa, história... Por se tratar de uma instituição pública, aceita todo tipo de aluno, especialmente os ditos “casos perdidos” e é uma das mais bem avaliadas em Portugal. No local, todos aprendem, inclusive os professores, a troca de informação não é unilateral, é multilateral.

No Congresso, Pacheco comentou sobre o caso de três meninos, vindos da Febem – presos por roubo e estupro – que chegaram à instituição tachados como “casos perdidos”. Chegando lá, foram questionados sobre o que gostariam de fazer. Disseram que adoravam pássaros e desejavam de construir um aviário para alojá-los. Foram incentivados a botar a mão na massa. Primeiro, decidiram quantos animais seriam colocados no local, para que, depois, procurassem a professora de matemática, que os ensinaria como calcular a área necessária. Depois, fizeram orçamento dos materiais que seriam utilizados para a elaboração. Construíram o local e depois apresentaram para todos os colegas, que os aplaudiram. Nunca mais cometeram crimes. Ou seja, casos perdidos que foram reinseridos na sociedade, em vez de permanecerem na marginalidade. Enfim, a Escola da Ponte deixa uma lição de que tudo pode ser diferente e mais prazeroso. No mesmo congresso, também foi apresentado o programa One Laptop Per Child, que já é conhecido, e sobre o qual pretendo escrever em uma próxima oportunidade...

Infelizmente, as escolas brasileiras e, claro, de outros países, públicas ou privadas, ainda preparam os alunos para decorar matérias e passar no vestibular, e só. O pior é que, apesar do foco no ensino superior, apenas cerca de 10% da população têm acesso a ele. Então, de que adianta? Alguém lembra das fórmulas de química, do Movimento Retilíneo Uniforme, da física? Não que isso seja pouco importante, o problema é que apenas decoramos, muitas vezes, não compreendemos e com o passar dos anos, esquecemos. Estamos ai, com déficit de profissionais em áreas técnicas, mas seguimos insistindo em capacitar para a universidade. Temos muitos graduados em diversas áreas, frustrados, porque foram sempre incentivados a ter o curso superior, muitas vezes, sem nem saber porquê.


José Pacheco, um dos fundadores

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Elogio à Vonpar...

“Coloquei R$ 2,00 em uma máquina de refrigerantes na Estação Mercado que não me deu nem a lata nem devolveu o dinheiro. Liguei para a Vonpar, descrevi o acontecimento, informei meus dados e endereço. No feriado de Finados, um funcionário foi até minha residência, em Esteio, e me entregou a lata de Coca-Cola”. Bom, é de elogiar mesmo.
Fonte: Newsletter Fernando Albrecht

Ações simples como essas precisam ser destacadas mesmo. Do jeito que as empresas andam tratando seus clientes, a Vonpar praticou a exceção...

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Coisas da vida

Na noite da última segunda-feira, o pai de uma grande amiga minha - sabe aquela pessoa que tu pode ficar anos sem falar, que nada muda? - descansou, assim como o meu. Era um cara guerreiro, lutou pela vida, tbm assim como meu pai. Praticava voo livre, e hoje tá sobrevoando os céus e iluminando todos os queridos que ficaram por aqui, principalmente as duas filhas lindas que ele deixou como legado.

Passados mais de três anos da morte do meu pai, diariamente, ainda penso nele. Nesta semana, ainda mais. O sentimento vai se transformando, mas a lição que ficou pra mim é a de que temos sempre que demonstrar e falar tudo que sentimos para as pessoas que amamos, por mais que a correria do dia a dia impeça. Quando meu pai descansou, tive a certeza de que nada ficou pra ser dito. Foi isso que me deixou mais tranquila pra aceitar melhor a ausência dele. Como disse um amigo nosso ontem, durante o velório do tio Antonio, é só ai que temos conhecimento do significato da expressão "nunca mais".

Novamente, repito este post. Um texto que fiz alguns meses depois que ele se foi. Volta e meia escrevo algo sobre ele, seja numa folha de papel, ou no computador. É uma maneira de manter ele vivo nas minhas lembranças. Quero contar muitas histórias pros meus filhos, para que eles tenham uma pequena ideia de quem foi o avô deles. Um cara que, não é pq era meu pai, mas foi um dos caras mais sensacionais que Deus colocou neste mundo. Quando releio esse texto, gosto de imaginar cada detalhe desse relato.



Nós

Só hoje eu consigo entender o real sentido da saudade, essa palavra que só existe no bom e velho português.
Dói tanto e, ao mesmo tempo, é tão bom lembrar de momentos especiais que nunca mais serão vividos com aquelas pessoas que a gente mais ama.
Lembrar dele dando conselhos, rindo até se finar de comédias pastelão, como só nós sabíamos fazer. Ouvir ele dizer: vai sair de cabelo molhado, filha? E me atender ao telefone daquele jeito tranqüilo: - Oi minha filha, tudo bem? Segurar minha mão e dizer: - que mão gelada!
Aquele meu gesto de passar a mão no colarinho dele e ouvir: Caspa, eu? Tal como a propaganda que assistimos quando eu era criança.
E aquela cãimbra que dava no minguinho do pé, toda vez que aparecia uma cena de sexo na TV. Só há pouco a gente comentou sobre isso...
A educação de sempre: Por favor! Obrigada! De nada! mesmo entre as pessoas mais próximas. Os ensinamentos de honestidade, sempre! Incluindo avisar o Boticário que o cheque dado para comprar aquele presente nao tinha entrado na conta.
O respeito entre ele e ela, mesmo com 52 anos de casados. A preocupação com a alimentação e a liberdade que ele sempre deu pra escolhermos nosso futuro, sempre aconselhando o que poderia ser melhor, mas sem pressão, nunca! Essa palavra não fazia parte do vocabulário dele.
O ciuminho que ela tinha, pq a gente tava sempre grudado, quando ela dizia que eu gostava mais dele do que dela: o que nao é verdade, amo os dois igualzinho!
O obrigada e os olhinhos brilhando toda vez que eu trazia bala da Sweet Sweet Way. A última banana split que tomamos no Habib's.
O café preto que fazia todas as tardes e levava pra "véia" dele.
Obrigada por todo carinho, pelas sombrancelhas grossas e até pela testa larga. Tanto orgulho pelos 18 anos de luta, por ter me acompanhado nos melhores e piores momentos, por ter feito tudo isso, em parte, por mim.
Queria tanto que tu pudesse ler tudo isso. Mas o que importa é que nada ficou por ser dito. Fiz tudo que podia pra demonstrar tudo nesses 26 anos.

Fica em paz, que a saudade vai aumentar, mas vou me esforçar pra aprender a conviver com ela.
Te amo, como eu sempre disse!

domingo, 18 de setembro de 2011

Nossa Senhora das Maravilhas


Ontem, enquanto esperava meu marido, dei uma volta pela 24 de outubro. Entrei descompromissada na Galeria Champs Elysees e me deparei com uma grata surpresa: a Garage Sale Nossa Senhora das Maravilhas. Lembra daquelas cenas nos filmes norte-americanos, em que as pessoas separam tudo que não usam mais e comercializam para os vizinhos? Pois é mais ou menos esse o conceito: vender roupas e acessórios de marcas famosas, novos ou semi-novos em bom estado. É mais que um brechó, os produtos são de lojas que fecharam, ou de pessoas que têm roupas novas, mas com pouco uso ou mesmo com etiqueta. A Nossa Senhora das Maravilhas oferece o serviço de consignação, que consiste em levar um produto e receber uma quantia referente à peça quando ela for comercializada.
Na minha garimpada, encontrei sapato da Dateli por R$ 70,00, sapatilha da Melissa por R$ 40, um casaco vermelho da Zoomp, da Triton, blusa da M. Officer, dezenas de bolsas, uma mais bonita que a outra. Enfim, dá pra se divertir muito por lá. Além da dona da loja, que atende, e é uma fofa (esqueci de perguntar o nome dela). Dá dicas, toda a atenção do mundo e trata súper bem os clientes. ADOREI! Voltarei muitas vezes lá.




Ela e a irmã mantém um blog sobre a loja, onde é possível conhecer mais sobre o negócio e saber das novidades: Nossa Senhora das Maravilhas

Na primeira visita ao local, minha aquisição foi a blusa abaixo, por R$ 22,50.


Fica a dica!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Um vestido e um amor

Muita gente sabe, mas coisas legais devem ser divulgadas... A linda Débora Fallabela, além de ótima atriz tem uma grife de vestidos, um mais fofo que o outro. Chama-se: Un vestido y um amor. Eu sou suspeita pra falar, sou uma grande fã deste tipo de “vestimenta”. Tem coisa mais prática do que acordar, pegar uma única peça, uma sapatilha ou sandália e sair pra trabalhar? Pois a marca da Débora, em parceria com a estilista Mariana Aretz, oferece as mais lindas e diferentes opções – tem pra todos os gostos, das mais tradicionais às mais ousadas, pras delicadas e para as nem tanto... Além de vender em atelier próprio e algumas multimarcas, as roupas podem ser compradas pela internet tbm no site da marca . Tem ate dica de como se deve fazer para tirar as medidas, antes de fazer o pedido online – o que reduz a chance de dar algo errado.

Pra quem mora em Porto Alegre, acabo de me dar conta de uma boa notícia:
Vende na Loja Santeira: Rua da República, 38 – 3207-45.65
Abaixo, alguns dos que eu mais gosto:







sexta-feira, 29 de julho de 2011

Oi Gracia

Já falei outras vezes sobre a marca Oi Gracia, que tem mais uma novidade.
Um ponto fixo de venda.
Dá uma olhada no flyer abaixo.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Horror, Fantasia e Ficção Científica no Portinho...

Já está na 7ª edição o Fantaspoa - Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre. Trata-se de uma mostra que reúne dezenas de filmes de ficção científica, horror e fantasia dos mais diferentes países. Além disso, conta com a presença de cineastas e profissionais da área que participam de mesas de debate e seções comentadas. Tem muito filme bizarro e muito interessante.
Neste ano, o evento ocorre de 1º a 17 de julho e tem sessões no Cine Bancários, Casa de Cultura Mário Quintana e Santander Cultural. O melhor, custa só 5 pilas.

Como boa adoradora de filme de horror e suspense, já participei de duas edições. Para esse ano, selecionei, pelo menos, dois filmes que vou assistir. Uma animação e um filme. Trailers abaixo.

O Sol
El Sol - (2009) - Animação/Comédia/Horror
Argentina - 72 min - Classificação: 16 anos

el sol from ayar blasco on Vimeo.


O Filho da Meia Noite Midnight Son - (2011) - Horror/Drama
EUA - 88 min - Classificação: 18 anos



Mais informações e programação completa no site do evento: Fantaspoa

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Contradições

Foto: ZH




Enquanto isso, tem pingüim com split pra sentir mais confortável... Nada contra o bichinho, juro, mas me poupe...

terça-feira, 28 de junho de 2011

Descaso

Uma senhora negra, do alto de seus 84 anos, sem o seu melhor traje, pois veio as pressas para um hospital da capital em busca de melhor atendimento e tecnologia para tratar um problema. Com dor e formigamento em uma das pernas e um exame na mao, que apontava obstrução das artérias, jovem médico folguista a diagnostica com dor muscular e a manda para casa tomar paracetamol – que a dor passaria em breve. Resultado: ela faleceu um dia depois do acontecido. Em busca do "avanço da capital", acabou morrendo por negligência. Talvez ficar no hospital não adiantasse, mas pelo menos teria a certeza de que tudo foi feito para que a Selma não nos deixasse. Infelizmente, nao foi o que aconteceu.

Será que se ela fosse uma senhora mais nova, branca e bem vestida, com um sobrenome diferente, a atitude do jovem médico teria sido diferente?
Fica a pergunta que não quer calar... E não vai calar mesmo, pois as devidas medidas serão tomadas.
Enfim, um desabafo sobre o descaso de alguns profissionais e prestadores de serviço em saúde com seus pacientes.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Lembranças...

Tô saudosa! Essa semana pensei bastante no meu pai - que me inspirou para dar nome a esse blog. Como já disse, ele ficava indignadíssimo quando via gente circulando pelas ruas e corredores com térmica e cuia, tomando chimarrão, para mostrar que eram gaúchas com orgulho – coisa de gente "da cidade" na visão dele, no interior não era assim. Nascido em Barretos (SP), passou muito mais tempo vivendo por esses pagos do que por lá. Morou em Santo Antonio, Bagé e depois aqui no Portinho.

Eu com uns três anos e ele


Desde que ele se foi, há pouquinho mais de três anos, é assim. Tem períodos que penso mais, outros que menos, mas acho que não há um dia se quer que ele não venha à minha mente ao menos por 30 segundos. Sou suspeita pra falar, mas ele era uma pessoa de outro mundo - a mais honesta e uma das mais simples e tranquilas que eu conheci. Dois episódios que traduzem bem essas características.

Certa vez ele comprou um presente para minha mãe no O Boticário. Passados dois meses da aquisição, nada do cheque ser descontado. De tão correto, ele teve a ideia de ir até a loja e avisar que o cheque ainda não tinha sido descontado, que ele queria que o fosse. Onde já se viu comprar algo e não pagar?

Por um longo período ele, que tinha enfisema pulmonar, fez fisioterapia respiratória no Grupo Hospitalar Conceição, todas as terças-feiras. Neste grupo tinham muitas pessoas de baixo poder aquisitivo - não que a gente fosse rico, longe disso, mas eram pessoas bem humildes mesmo. Como ele não queria "aparecer" pras pessoas, sempre vestia as piores roupas para ir na fisioterapia e descia do táxi um pouco antes de chegar ao hospital. Só não ia de ônibus porque, realmente, a falta de ar o impedia. Era uma figuraça esse meu pai.

A pneumologista Dra. Suzana, que cuidou dele durante anos, disse que nunca teve um paciente tão tranquilo de lidar e tão dedicado ao tratamento como meu pai. Segundo ela, isso explica o fato de ele ter convivido 18 anos com a doença, que não tem cura.

Escrevo tudo isso porque não quero esquecer nunca e também pra compartilhar com o mundo quem foi meu pai, mesmo que poucas pessoas leiam.


Festa de 50 anos de casados papi e mami (2006). (nota-se eu e ele emocionados, hehe)



O véio e a véia no meu aniver e do Lu em 2007



Amo essa foto. Ele, como sempre, me cuidando

terça-feira, 21 de junho de 2011

Triste fim

Notícia como a que li há pouco na Zerohora.com são tristes demais. Vinha acompanhando a luta do pequeno Ismael contra a leucemia, doença com a qual ele conviveu durante 4 de seus breves 7 anos de vida. Pois o último round aconteceu na madrugada de domingo, quando o menino faleceu antes que conseguissem um leito para realizar o transplante no Hospital de Clínicas. Ou seja, o mais difícil, que é encontrar um doador 100% compatível, ele conseguiu. Para se ter uma ideia, o índice de sintonia é o seguinte: 1 para cada 100 mil medulas no mundo são compatíveis.
Um anjinho que tinha toda uma vida pela frente se foi por conta da situação da saúde no nosso País.
Mas o acontecido não pode desestimular. Cada um de nós, dos 18 aos 55 anos, pode ajudar mais pessoas a encontrar medulas compatíveis como aconteceu com o Ismael. É tão simples ser doador que deveria ser uma obrigação. Aqui em Porto Alegre, na Santa Casa, é possível fazer o cadastro. É súper rápido, levei menos de 10 minutos e uma picadinha de injeção - como se fosse fazer exame de sangue.
Informações no seguinte link da Santa Casa .

Vamo lá pessoal!
Se pelo menos o "um leitor" que deve acessar esse blog fizer o cadastro, já fico feliz. hshshs

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Loja Virtual Oi Gracia


No último verão, eu e minha grande amiga e especialista em Moda formada em Milão, Anamaria Legori (chique do úrtimo) fomos à 2ª Edição do Nômade Bazar na Bela Vista. Lá, tive uma grata (seria melhor gracia) surpresa ao conhecer a marca de roupas a Gracia, daqui mesmo de Porto Alegre. São modelos muito bem feitos e, pelo que percebi, quase exclusivos, pois dificilmente há duas peças iguais. Até pouco tempo, as roupas só eram encontradas em alguns poucos pontos de venda e nesses bazares, mas agora esse fator não será mais barreira para adquirir os modelos. Agora, a Gracia tem loja virtual. As peças podem ser vistas e adquiridas pelo PagSeguro na página .

Em uma edição bem tosca (não tenho Photoshop aqui) um pouco da blusa que comprei da Gracia: toda verde na frente e com renda em toda as costas. Usei no meu último aniversário.

Mais uma sacada do Google

Muito interessante mais esse projeto do Google focado na inclusão digital de empresas que ainda estão fora do mundo virtual – especialmente micro e pequenas. É o Conecte seu Negócio, uma parceria da gigante da web, com o Sebrae Nacional, a HP e a Yola - que atua na elaboração de sites. O serviço consiste em oferecer domínios grátis aos primeiros cinco mil inscritos, criação, design e hospedagem do website de forma gratuita. Depois da criação, os empresários também receberão créditos em Google AdWords para promover a página via internet.
Ficou interessado? Pegue o CNPJ e corre pro
Link Conecte seu negócio

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Anúncios absurdos do século passado

Dá pra fazer uma análise antropológica e sociológica com esses anúncios, hoje, politicamente incorretos.
É... os tempos mudaram bastante.

Palmolive (1920)


Kelloggs (1930)


Camel (1940)


Volkswagen (1960)


Tipalet (1960)


Kenwood (1960)


And the Oscar goes to...

Drummond (1950)




Leggs (1970)


(E esse já era na década de 70, nem faz tanto tempo assim...)


Fonte: http://www.businessinsider.com

terça-feira, 14 de junho de 2011

TAP, Lisboa-Porto Alegre: coisa de português?



O voo inaugural da TAP de Portugal para Porto Alegre, realizado no domingo (12), teve direito a cantoria entre os ilustres passageiros e tripulação de "Porto Alegre é Demais". Clique aqui para assistir ao vídeo constrangedor.

Que beleza, poder ir à Europa direto do amado Portinho!

No entanto, a direção da empresa não está cantando muito não. Segundo entrevista do vice-presidente da TAP à jornalista Bela Hammes (ZH), uma vez inaugurado o serviço, a companhia portuguesa terá que buscar um caminho para torná-lo rentável. A procura de passagens para ir a Europa está engatilhada, o problema é o contrário: trazer europeus para a cidade. Entre as dificuldades: o setor hoteleiro gaúcho, que não atende ao padrão exigido com volume adequado ao potencial de hóspedes que podem ser trazidos pela TAP. Outra, o mote para atrair o povo do lado de lá do oceano tbm nao é o mais adequado: o de que a Serra Gaucha é um pedacinho da Europa no Brasil. Quem que mora lá e vai passar quase 11 horas dentro do avião para conhecer uma versão tupiniquim?

E tem mais: uma alternativa rentável seria o uso dos porões da aeronave para transporte de carga. Segundo o vice presidente, a empresa já está sendo procurada por interessados no serviço. O problema que impede os negócios é um velho conhecido do Salgado Filho: a pista pequena para pousos e decolagens com aeronaves mais pesadas. Solução: adequar a carga às condições limitadas do aeroporto – ou seja, buscar empresas que tenham produtos leves para transportar.

Ah, esse é o meu País e suas peculiaridades e esses são os portugueses.
Lançam o voo e depois veem no que dá.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Novo Blog

Criei um novo blog. Vamos ver se tenho tempo pra atualizar os dois.
Esse é dedicado à Zona Sul de Porto Alegre. Região na qual eu devo passar os próximos anos da minha vida e que eu estou descobrindo aos poucos.
Quem quiser conferir: http://descobrindoazonasul.blogspot.com

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Maravilhosa...



Se não for dessa vez, nunca mais...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Descobrindo a Zona Sul III

Em sequência à nossa exploração à Zona Sul, eis um post sobre mais um sushi na região. Fomos almoçar no Sushi Drive da Pereira Passos. Os restaurantes da rede (Zona Sul, Goethe e Nilo Peçanha) servem sequência de sushi no almoço, de segunda a sábado, no valor de R$ 22,50. Preço bastante honesto pelo que oferecem. O valor dá direito a um rolinho primavera quentinho, pack com 20 unidades, entre sushis/makis/uramakis/niguiris cada + 5 hot Filadélfia. Também tem buffet de pratos quentes – arroz com legumes, yakisoba, saladas... Depois disso, se ainda tiver espaço no estômago, é possível repetir mais 10 opções entre as 20 servidas no início – máximo 5 com salmão.




A unidade da Zona Sul eu ainda não conhecia, mas é um lugar bem aconchegante, com espelhos e sofás confortáveis, ar condicionado na temperatura ideal para um sábado de 40 graus, às 13h. O atendimento muito bom. A moça que recepciona e explica como funciona a sequência é muito atenciosa – digo o mesmo do garçom que nos atendeu. O único “desagrado” foi na hora de pagar, que três atendentes ficaram conversando, fazendo outras coisas, e nós dois parados, em pé esperando para ser atendido.
Voltaremos!

Endereço:

Sushi Drive Zona Sul (Loja e Delivery)
Pereira Passos, 1125 – Loja 03 – Porto Alegre
Horário de Atendimento 11:00 às 23:30
Fone: (51) 3222-8484

Como chegar:


Exibir mapa ampliado

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Doação







Olhem que coisinha mais fofa.
Foi encontrado na Unimed, em Cachoeirinha, sem dono, e está em busca de uma alma caridosa que queira adotá-lo. Alguém se habilita?
Se não tivesse meu gato, eu pegaria.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Promoção da promoção



Quem quiser comprar roupa de qualidade a bons preços pode dar uma passadinha na Rua Duque de Caxias, 550 – Centro Histórico, em Porto Alegre, que não vai se arrepender... A loja parece uma residência, mas pode tocar a campainha que uma profissional qualificada vai abrir as portas pra você. A Studio ENR, uma loja de roupas lindas idealizada pela empresária e estilista Eleni Nunes, está com uma mega promoção de verão entre os dias 8 e 11 de fevereiro. Duas vezes ao ano, ela e sua equipe realizam pesquisa de mercado e tendências na Europa e nos Estados Unidos. Eu mesmo já comprei calças, blusas e vestidos maravilhosos com ela a preços melhores ainda. Na Studio ENR também tem semijoias lindas de morrer.
Uma pequena mostra das promoções:

Camisetas importadas a R$ 19,00.
Vestidos importados de R$ 29,90 a R$ 89,90
Semijoias com até 70% de desconto;

Mais informações no
site:

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Matsuri Sushi Lounge – Campeche (SC)

Mais um comentário/dica sobre nossa passagem pelo Campeche (SC) nessas férias.
Pra quem não dispensa um peixinho cru seja lá onde for, a praia oferece um restaurante especializado em comida japonesa da melhor qualidade. Chama-se: Matsuri Sushi Lounge (Av. Pequeno Príncipe, 1615) e funciona de terça a sábado, das 19h às 0h. Tem um espaço reservado, com aquelas mesinhas japonesas rentes ao chão e tatame, no qual só se entra descalço. É bem charmoso, com decoração típica e, apesar de terem outras locais de sushi no Campeche, é bem movimentado. A sugestão é ligar antes para garantir ume mesa - principalmente se for chegar depois das 20h. Há a opção À La carte e para quem adora comer sushi até explodir como a gente, tem o festival nas terça, quintas e sábados.

O serviço é bem interessante. As pessoas recebem um cupom para marcar quantas peças de cada qualidade de sushi deseja pedir, o que evita desperdício. As peças solicitadas e não consumidas são cobradas a parte (R$ 1,00) cada. Também garante um sushi especial, feitinho na hora. Na nossa ida ao Matsuri, pedimos seis temakis e a moça veio nos avisar que eles eram grandes e bem servidos, se queríamos essa quantidade mesmo. Mas claro que confirmamos – demos um desfalque de sushi. Os temakis são maravilhosos e bem recheados – muito peixe e pouco arroz.

Preço:

R$ 40 mulher
R$ 50 homem



terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Pousadinha no Campeche

Na minha única semana de férias neste verão (a primeira de janeiro), eu e meu marido decidimos viajar para Santa Catarina. Passar uns diazinhos na praia, porque ninguém é de ferro. Saímos de Imbé no dia 3 de janeiro e rumamos para o Campeche, de onde retornamos no dia 7. Os cinco dias, apesar das 11 horas de BR-101 pra chegar até lá, valeram totalmente a pena. A demora foi culpa da “semi” duplicação da estrada, que quando virava pista única, se transformava em confusão... Ainda mais com os espertinhos que usam o acostamento como terceira pista.



A começar pela Pousada que ficamos: a São Sebastião da Praia , no Campeche. Fica a alguns metros da beira do mar e é totalmente aconchegante. São apartamentos com opção de dois quartos, cozinha com geladeira (não tem bebida nos quartos, elas podem ser compradas na recepção, o que facilita na hora do check out), banheiro e duas sacadas com vista para as árvores que refrescam o local. Tem piscina, salão de jogos (com sinuca, ping-pong e pebolim), restaurante com opção de bufê à noite, café da manhã muito bom - com sucos, bolos e pães..., quadra de futebol suíço e algumas salas para eventos. Também tem sagüis e passarinhos, com autorização do Ibama.






Como está em Floripa, claro, lotada de paulistas de todas as partes, principalmente adolescentes. Impressionante, a maioria deles com seus laptops, no MSN direto. Em vez de aproveitar toda a infraestrutura que o hotel oferece, se limitavam ao wireless.

Um charme do Campeche é que há algumas referências ao Saint-Exupéry, que na década de 20 passava pela região, quando era comandante da rota do correio aéreo francês. No local, era feito o reabastecimento dos voos de Buenos Aires a Paris. Ele aproveitava para descansar e conhecer as pessoas que habitavam o local. Hoje, a avenida principal se chama Pequeno Príncipe.




Fica a dica de hotel e praia totalmente aprovados.

Tarifas de alta temporada
Janeiro
(02/01 a 31/01/2011)
* R$ 220 para 01 pessoa
* R$ 250 para 02 pessoas
* R$ 320 para 03 pessoas
* R$ 390 para 04 pessoas
* R$ 70 pessoa extra
Fevereiro
(01/02 a 28/02/2011)
* R$ 120/dia para 01 pessoa
* R$ 160/dia para 02 pessoas
* R$ 220/dia para 03 pessoas
* R$ 280/dia para 04 pessoas
* R$ 60 pessoa extra
Carnaval
(04/03 a 09/03/2011)
* R$ 1.050 para 01 pessoa
* R$ 1.350 para 02 pessoas
* R$ 1.700 para 03 pessoas
* R$ 2.050 para 04 pessoas
* R$ 350 pessoa extra

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Falhas



A consultoria de marketing passou longe desse salão de beleza, que oferece promoção no site de compras coletivas da RBS hoje: o Desejo Mania.
Eu que nao faço nada no meu cabelo em um local que se chama: Bad Hair...

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Caso Ronaldinho

Reproduzo aqui o maravilhoso texto de Juremir Machado da Silva sobre a novela Ronaldinho-Grêmio. Muito perspicaz. Só podia ser colorado.
Disponível no blog do jornalista


A segunda traição de Ronaldinho, ou a segunda bola nas costas não se esquece

O Grêmio desistiu de Ronaldinho.
Assim que soube que Ronaldinho havia desistido do Grêmio.
Quero me solidarizar com os torcedores gremistas.
Levar um chifre é humano e qualquer um perdoa.
Dois, da mesma pessoa, é desumano.
Quando Ronaldinho foi embora, levou o maior patrimônio móvel do Grêmio: ele mesmo.
Sem que ninguém pagasse nada na hora.
Na luta, o Grêmio recuperou uns caraminguás.
Agora, Ronaldinho queria levar o maior patrimônio imóvel do Grêmio, o Olímpico.
O Grêmio, marido traído desesperado, aceitava pagar um valor (100 milhões) maior do que o da sua casa, que será vendida por 80, para ter de volta o maior amor da sua vida, aquele que o deixou chorando na janela.
O menino pobre não podia perder a oportunidade da sua vida.
Agora, o homem rico não pode perder mais uma oportunidade na sua vida.
Eu pensava que a imagem mais retumbante deste milênio era a dancinha do Kidiaba humilhando o Inter.
Eu pensava que o mico do milênio era o Mazembe eliminando o Inter.
Estamos na sociedade do espetáculo: uma imagem mata a outra.
Aceleração vertiginosa. Tudo passa. Nada permanece.
Como dizia Marx, tudo o que é sólido desmancha no ar.
A começar pelos nossos melhore sonhos.
A imagem dos funcionários do Grêmio retirando as caixas de som para a festa que não aconteceu suplantou todas às imagens que vi até agora em melancolia, tristeza, luto, peso, plástica e estética, estética de um fracasso.
Entrará para a história da antropologia visual do século XXI, a exemplo daa imagem dos aviões entrando na segunda torre do World Trade Center, como uma das imagens mais impressionantes de todos os tempos.
Duro mesmo é ter de pagar pela aparelhagem de som que não foi usada.
Eu me solidarizo.
Ronaldinho frustou o Grêmio quando foi embora.
Frustrou o Grêmio quando foi anulado pelo Ceará na final do mundial em que o Inter bateu o Barcelona.
Frustrou o Grêmio ao preferir o Flamengo.
Ainda resta uma esperança. Ele ainda não assinou.
Quem sabe, por amor, vem implorar para, enfim, ser aceito.
Eu sempre tento me colocar no lugar dos outros para entender suas razões.
Coloquem-se no lugar de Ronaldinho.
Entre ser amado por quatro milhões de torcedores ou por cem milhões, preferiu a segunda hipótese.
Entre ter um jogo do seu time em rede nacional de tevê de vez em quando e ter dois jogos por semana mostrados para todo o Brasil, preferiu a segunda hipótese.
Entre Ipanema (Porto Alegre) e Barra da Tijuca, preferiu a segunda hipótese.
Entre a Rede Baita Sol e a Rede Globo, preferiu a segunda hipótese.
Entre a festa vigiada e a festa liberada, preferiu a segunda hipótese.
Ronaldinho é o homem da segunda hipótese.
O Grêmio será sempre a primeira. Possibilidade.
Afinal, no Fla, estará mais perto da seleção brasileira, do Cristo (Redentor) e do Galvão Bueno.
Pensando bem, Ronaldinho foi razoável.
Ele ama o Grêmio. Mas amores, amores, negócios à parte.
O problema é que o segundo chifre não se esquece.
Tem lado positivo: a simetria. Um de cada lado.
Um só é coisa de rinoceronte e de unicórnio.
Digo isso sem coloradismo. Digo friamente.
Eu faria o mesmo que o Grêmio. Até cantaria com o genial Lupícinio Rodrigues: você sabe o que ter um amor, meu senhor, e depois ver esse amor nos braços de um outro qualquer.
O problema, mais um problema, é que Grêmio queria que a parte do Milan saísse do bolso do Ronaldinho.
Seria um prejuízo enorme para ele: oito milhões em cem.
Tinha gavião, quer dizer, urubu, aceitando livrar o craque desse pepino.
Eu digo aos gremistas como coirmão enlutado: ele ainda pode vir.
Nem que seja depois do Flamengo.
Assim como certos cantores, depois do Olympia e do Canecão, vão a Cacequi.
Amor é para sempre.
O Grêmio provou sua imensa capacidade de amar.
Outra sugestão musical com gosto gaúcho: Kleiton e Kledir: vou ficar na sua vida como uma paixão mal-resolvida...
Como é triste o amor...
Como dói!